Redes de turismo

REDES DE TURISMO COMUNITÁRIO NO BRASIL Até os anos 90 o conceito turismo comunitário estava desconhecido na Brasil. As primeiras experiências nasceram no Ceará, Prainha do Canto Verde, Beberibe e […]

Carroça movida pelo um boi

Redes Comunidade de Caetanos

REDES DE TURISMO COMUNITÁRIO NO BRASIL

Até os anos 90 o conceito turismo comunitário estava desconhecido na Brasil. As primeiras experiências nasceram no Ceará, Prainha do Canto Verde, Beberibe e Casa Grande do Homem do Cariri, Nova Olinda.

Em 2003 o Instituto Terramar, CEFET e o Dept. de Geografia da UECE organizaram o I Seminário Internacional de Turismo Sustentável em Fortaleza apresentando as primeiras experiências de Turismo Comunitário.

5 anos depois no II Seminário Internacional de Turismo Sustentável em Fortaleza de 2008 a proposta de Turismo Comunitário ficou consolidado e recebeu o apoio do Ministério de Turismo para articulação da rede nacional de turismo comunitário TURISOL e o fortalecimento da Rede TUCUM no Ceará.

REDE TUCUM, CEARÁ

Experimente entrar contato com a natureza e modos de vida comunitários em uma das 12 comunidades do litoral do Ceará que fazem parte da Rede Tucum. Uma oportunidade inesquecível de praticar um turismo diferente marcado pela sabedoria popular tradicional em comunhão com belas paisagens naturais.

Para saber mais entre no www.tucum.org

IV Assembléia da Rede Tucum abre diálogo com prefeitura de Camocim e aprova nova coordenação

Entre os dias 21 e 23 de novembro aconteceu na comunidade Tatajuba, em Camocim, litoral oeste o Ceará, a IV Assembléia de Rede Cearense de Turismo Comunitário – Rede Tucum. O encontro, que tem ocorrido anualmente, representou um momento reafirmação de parcerias, debate sobre as diversidades dos sujeitos que constroem a rede, e principalmente, uma avaliação do tem sido feito até agora e para onde a articulação deve direcionar sua ação. Dentre as deliberações da assembléia foi aprovada, por aclamação, a entrada da etnia Tapeba, do município de Caucaia, para também balançar a Rede Tucum.

Foram três dias de muita reflexão, visita aos chalés comunitários e vivencias sobre o que há para conhecer com o turismo comunitário de Tatajuba. Esse foi o clima da IV Assembléia, que iniciou dia 21, com uma mesa de debate entre a Rede Tucum e a prefeitura de Camocim. Na ocasião, lideranças de Tatajuba, professores universitários e estudantes de geografia da Universidade Estadual do Vale do Acaraú (UVA) puderam perguntar ao prefeito Chico Vaulino sobre as políticas públicas de turismo municipais e como elas se relacionam com as estaduais e federais. Nem todas as dúvidas foram esclarecidas, mas o momento trouxe para Tatajuba a oportunidade de apresentar sua proposta de turismo ao poder público local.

A programação dos outros dois dias de assembléia foi exclusiva para convidados e lideranças das 12 comunidades que compõe a Rede, totalizando 35 pessoas. Reunidos em plenárias, o grupo reafirmou a construção do turismo comunitário como estratégia para a garantia dos territórios das populações tradicionais. Além dos sentidos que unem os sujeitos da Tucum, os desafios para consolidação dessa proposta de turismo também foram abordados. Dentre eles destacou-se a comercialização justa e solidária dos serviços turísticos, bem como, a promoção da Tucum a partir suas belezas naturais, mas principalmente de seus modos de vida.

No último dia de assembléia, o grupo votou pela entrada da etnia Tapeba para a Rede Tucum. Os Tapebas já desenvolviam projetos de turismo comunitário em Caucaia, apoiados pela Organização Não Governamental Adelco. Há um ano os dois sujeitos vêm se aproximando da Tucum e agora entram para a Rede somando experiências e fortalecendo os valores do turismo comunitário.

Outra deliberação da assembléia foi uma nova proposta de gestão com quatro instancias de participação: a coordenação colegiada, formada por representantes dos grupos de turismo de cada comunidade e das assessorias (Terramar, Caiçara e Adelco); seis coletivos regionais, nos quais as comunidades se juntam para articular estratégias locais; a coordenação executiva, formada por representantes das regionais mais assessorias; e a secretaria executiva, responsável pela gestão dos projetos e corresponde ao endereço de referencia em Fortaleza.

Essa nova conformação será experimentada durante o ano de 2011, tendo os meses de janeiro e fevereiro como período de transição. A coordenação executiva – antes formada pelo Terramar, Tremembé Onlus, Antonio Aires (Prainha do Canto Verde) e Valneide Sousa (Caetanos) – agora será formada pelo Instituto Terramar, Associação Caiçara, Representante do MST pelo Centro Frei Humberto, Eliabe (Ponta Grossa), Mário (Batoque) e Laureana (Curral Velho).

O encerramento da IV Assembléia da Rede Tucum aconteceu com uma festa para toda a comunidade de Tatajuba. Após o jantar coletivo, indígenas Tapebas e Jenipapo Kanindé comandaram uma dança do Toré e em seguida uma ciranda da praia. Por último um trio de forró pé de serra colocou a todas e todos para dançar.

Redes encontro turisol em ilhes

Redes encontro turisol em ilhes

REDE TURISOL

A Rede Brasileira de Turismo Solidário e Comunitário TURISOL, é composta por organizações que se uniram com a missão de fortalecer o turismo comunitário no Brasil. Ao todo somos 13 projetos, presentes em 8 estados do Brasil e 61 municípios.


As principais linhas de atuação da Turisol são:

1. Formação e Capacitação:

Envolve a realização dos Encontros de Formação, Encontro Nacional e participação em eventos nacionais e internacionais sobre Turismo Comunitário

2. Produção de Conhecimento:

Envolve a produção de materiais didáticos sobre os temas trabalhados nos encontros de formação e sobre metodologias de sucesso testadas e implantadas pelos membros da rede. Publicações e vídeos são os produtos dessa linha.

3. Impactos em Políticas Públicas:

Envolve o diálogo com os Ministérios e Secretarias, reuniões, sugestões, elaboração de editais, participação em rede em editais, para o fortalecimento do Turismo Comunitário e a criação de políticas, programas e ações governamentais por um turismo justo.

4. Promoção e Comercialização:

Envolve o fortalecimento dos destinos da rede por meio da criação de produtos promocionais e estratégias de comercialização conjuntas do turismo comunitário.

Para saber mais entre no   www.turisol.org.br