TERRA pra QUEM?

Não é de hoje, essa história é repetida! Branco vindo dos estrangeiros sucateando nossa vida!   Essa terra tu quer pra quê? O que ela é pra ocê? Pra nós […]

Não é de hoje, essa história é repetida!

Branco vindo dos estrangeiros sucateando nossa vida!

 

Essa terra tu quer pra quê?

O que ela é pra ocê?

Pra nós nativos vou te dizer:

Esse é o nosso território!

Aonde eu moro, meu pai mora e meu avô.

Aqui vive em harmonia o pescador, agricultor e professor.

 

Foi aqui onde minha bisavô criou 15 filhos.

Lugar de preservação genealógica e ecológica.

Qual árvore queres derrubar?

 

Antes de entrar, respeite quem tá a mais tempo e nosso modo de viver!

Me fala gringo, quer essa terra pra quê?

 

Eu quero tradicionar a tradição e guardar nossa cultura da dimensão.

Da regata, o dia de São Pedro e os papangus.

Chega aí que te ensino um beiju!

 

 

Mas se tu quer chegar na paz.

Ora ora! Senta aí rapaz que a amizade aqui nunca é demais.

Até porque nosso turismo é comunitário, estudado até pelo universitário.

E de massa aqui só o grolado.

 

Ei empresário! Seu doutor!

Não há dinheiro no mundo que compre essa terra pra nós !

Se interessa, não vamos calar a voz!

E tá no sangue desse povo lutar.

 

Tu acredita que passamos noventa dias no mar?

Pra chegar na capitar, Rio de Janeiro!

Só a fé no padroeiro que fez dobrar o joelho pra na justiça ganhar.

 

Se o capitalismo move o mundo, aqui na Prainha o que move é o amor.

E isso dinheiro não compra e nunca vai comprar.

Seja consciente, onde vou morar?

 

Ei governo, porque tu tá tão calado?

Não se faça de abestado, de que lado tu tá?

A minoria sobrevive todo dia a repressão, Quilombos, Indígenas e Tradicionais.

Meu amigo, tem jeito não! Será se aquelas da colonização?  Quero o direito a o usucapião!

 

Sobrevivemos do extrativismo.

É assim, respeitamos a natureza.

Sustentabilidade, é assim que colocamos comida na mesa.

Plantamos agora, colhemos depois, não colocamos a carroça antes dos bois.

Como diria o lendário Chico Mendes:

“ Ecologia sem luta de classe é jardinagem”

 

Homem deixe de fuleragem!

Essas famílias não são apenas casas, é ancestralidade!

Estou falando sem maldade segundo minha concepção.

Que antes de entrar respeite a população.

Será que não entende ?

Essa terra é sagrada e por isso tem que ser cuidada, zelada e respeitada!

 

Autora: Thalia dos Santos Lima