A história do catamarã na Prainha do Canto Verde

Catamarã no mar

Catamarã com pescadores em alto mar

O catamarã foi introduzido no Brasil nos anos 1960 quando o português chamado “Manelis” navegou até o Maranhão via Jericoacoara, Ceará e criou família na praia de Outeiro. Hoje São Luis do Maranhão é considerado a capital dos catamarãs pelo grande número de barcos. O uso do catamarã para pesca também é mérito do “Manelis” é de lá que o pessoal da Prainha do Canto Verde foi buscar a inspiração trazendo esta maravilhosa embarcação para o Ceará e dando início ao projeto Escola Estaleiro. “Queremos aqui agradecer ao amigo “MANELIS” pela valiosa assistência técnica e a sua amizade e lembrar do nosso amigo e instrutor de construção naval “UELINHO” que morreu por uma doença grave na jovem idade de 28 anos.

A partir das primeiras experiências realizadas desde maio de 2000 com os catamarãs “Esperança” e “Maria José” na Prainha do Canto Verde, uma nova perspectiva para a pesca artesanal surgiu; melhores condições de trabalho, fácil navegação e mais segurança, e sobretudo viabilidade econômica.

O catamarã permite uma diversificação da pesca na zona costeira usando praticamente todas as artes de pesca que se pode imaginar. As embarcações do tipo catamarã á vela que estão sendo usadas na Prainha do Canto Verde tem as seguintes características: veloz, leve, estável, segura, fácil de navegar e com o incremento de equipamentos modernos como: sonda, GPS e rádio.

A energia é pelo vento e pelo sol com uso de painéis solares para acumular energia nas baterias.